Páginas

segunda-feira, 30 de abril de 2012

A primeira impressão é a que fica: U2 - Boy



Há alguns meses atrás eu estava pensando que as grandes bandas da história da música, mais especificamente do rock, tiveram um debut espetacular. Quando pensamos, por exemplo, no heavy metal/hard rock, em suas bandas mais mainstream: Black Sabbath, Iron Maiden e Van Halen com seus auto-intitulados álbuns de estréia, ou o Metallica com Kill 'em All; quando vamos para as vertentes mais modernas, temos o Pantera com Cowboys From Hell (embora existam controvérsias sobre ser o debut, que de fato não é, mas isso é tema para outro post); Machine Head com Burn my Eyes; Meshuggah, com seu Contradictions Collapse e também na área mais extrema com o fantástico Eaten Back to Life, do Cannibal Corpse ou o venerado Altars of Madness, dos ícones Morbid Angel.
É possível que eu venha a escrever sobre todos esses discos no período que encobre os próximos dez anos, haha... mas eu quis começar esse tema de uma forma mais calma (já que eu só citei exemplos de bandas que fazem parte da cena metal) porque eu já escrevo muito sobre bandas de heavy metal, e um dos debuts que eu mais gosto e que, de verdade, é o meu álbum favorito da banda é o Boy, do U2, lançado em 1980.
--
A capa do álbum, em preto & branco, que traz um garoto numa foto "inocente", traduz quase um sentido conceitual para o disco com um tema comum entre as canções: o fim da adolescência, dúvidas, frustrações e etc, além de problemas particulares do vocalista Bono. Tudo aquilo que nós todos passamos em algum momento da vida o U2 traduziu para música em seu primeiro álbum.
Através do disco podemos ouvir frases como:
"A boy tries hard to be a man, his mother takes him by his hand, if he stops to think, he starts to cry, oh why?" (I Will Follow)
"My body grows and grows, It frightens me, you know" (Twilight)
"Monday morning, eighteen years dawning (...) It was one dull morning, I woke the world with bawling, I was so sad, they were so glad" (Out of Control)
Musicalmente, é o meu preferido do U2 porque os músicos soam mais "livres", na minha opinião todos eles foram ficando mais comedidos com o passar dos anos; o baterista Larry Mullen, que sempre foi o meu membro "favorito" da banda, tem um performance incrível em quase todas as canções (destaque para "Stories for Boys"), enquanto The Edge soltou riffs faiscantes, e tipicamente oitentistas, em canções como "Twilight" (que tem também um solo incrível), "The Electric Co.", "Another Time, Another Place" "I Will Follow"; o que dizer das marcações do baixista Adam Clayton na dobradinha "An Cat Dubh" e "Into the Heart"?.
Ainda sobre The Edge, é legal dizer que desde esse primeiro disco o guitarrista já conseguiu impor o seu estilo de tocar, sendo assim a maior marca registrada do som característico da banda. Algumas canções do U2 lançadas anos depois são as mais conhecidas da banda (vide "With or Without You" e etc) e muitas pessoas não conhecem as canções de Boy, mas ao ouvirem os primeiros acordes da maioria das canções, conseguiriam 'matar' que se trata do U2 logo de cara por essa característica de timbre e estilo de tocar do guitarrista.
Sobre a influência que esse estilo do The Edge (e o U2) teve sobre vários músicos nos anos 80/90 (já escutaram "Cover my Eyes", do Marillion? Ou "I Walk Beside You", do Dream Theater?), deixo uma declaração de Alex Lifeson, guitarrista do Rush, contida na edição especial da revista Roadie Crew, intitulada Classic Series, quando o guitarrista fala sobre as influências que obteve na hora de compor para o álbum "Moving Pictures" (1981), de sua banda:
"Usar efeitos e fazer o meu som soar mais processado me possibilitou explorar mais espaço dentro da canção e também criar diferentes texturas. The Edge e Andy Summers estavam entre meus guitarristas favoritos naquela época, então isso me influenciou bastante"
Acho que para quem não é músico, a primeira parte da frase de Alex faz com que dê pra entender o estilo do The Edge: ele usa e abusa de efeitos (delay, reverb) que faz com que todo espaço da canção seja preenchido, é um estilo muito próprio e que se você tiver o interesse de obter mais detalhes, clique nesse post que é muito interessante.
Enfim... iria deixar aqui link apenas para as minhas favoritas, mas o álbum todo está disponível em um único vídeo no youtube:

Um comentário:

Leo Farsan disse...

Album espetacular, sou grande fã do U2 e realmente os 3 primeiros discos tem uma sonoridade totalmente diferente dos demais. O que é uma marca do U2 que sempre está buscando se reinventar.

Minha fase preferida da banda é a dos anos 90, chocando os fãs antigos com o Achtung Baby e depois mergulhando de vez nos experimentos com música eletrônica.